terça-feira, 19 de setembro de 2017

Matar a malapata na meia do Porto




- Domingo.
- 17 de setembro
- 11ª Meia maratona do Porto
- 10 horas
- 21,1 kms

Isto era o que nos esperava.
Alvorada ás 06H45
Com tempo mais que suficiente para "acordar" o corpinho e fazer a digestão comme il fault 👍
Sumo de laranja, duas fatias de pão integral e duas peras.
Estômago aconchegado.
Arrancamos ás 07H51, este escriba (Mike), Teresinha e Pedrinho.
Leninha e Diogo de férias pela estranja, não nos faziam companhia mas torciam por nós.
Era a décima segunda meia maratona que iriamos correr e para o Pedrinho era a sexta.
No Porto, já tínhamos corrido em 2015 e 2016.
E, pasme-se !!!, nessas duas, fiz os piores tempos de sempre em meia maratona!
Como é possível?
Na minha cidade não carburava?
Seria malapata?
Teria que ir ao bruxo de Fafe?
Ou ao professor Karamba?
Uff,.............. aqueles "desmaios" nas duas edições anteriores estavam-me atravessados na garganta.
Tinha que quebrar a malapata.
Seria hoje?
Tem de ser.
Estacionamos o bote no local do costume (em frente ao novo restaurante KFC perto do Hotel Ipanema) e descemos até ao Fluvial.
O termómetro marcava 11 graus.
Ok, bem bom, fresquinho, fresquinho.
Lá fomos nas camionetas da organização para o local da partida (Ponte do Freixo)
Isto de andar em quatro rodas não custa nada, é sempre a andar 😃
Chegados á Ponte do Freixo (9 horas), damos logo de caras com o Zé Esperança.
Claro mais conversa sobre provas no estrangeiro (Esperança, com esperança de um dia ir correr a Buenos Aires), seria bueno seria 😀
Então, para começar, a primeira foto,


                                         O grande atleta Esperança no meio dos Happyrun

Bom, vamos mexer um bocadinho porque está frio.
A multidão já ocupa a estrada toda e vamos vendo as caras habituais destas andanças.
Encontramos a nossa sobrinha querida.
Sim, a Ana inscreveu-se na caminhada e estava pronta para caminhar e correr um bocadinho para se habituar.
Aqui vai,


      A nossa querida sobrinha Ana que um dia nos irá dar o grande prazer de correr connosco 💙💙

Oh, já temos mais uns "penetras" para mais uma foto.
Ora vejam,


                                    Serafim e Cristina também prontos para a meia maratona

Mais umas corridinhas de aquecimento já com uma multidão enorme a ocupar a estrada e, mais um encontro,


                              Silvério e um seu amigo também prontos para "paparem" 21 kms

Bom, último aquecimento e mastigo uma barra energética.
Tou bem.
Sinto-me mesmo bem.
Hoje é pra valer.💪
Eram os pensamentos que me assaltavam a cabecinha.
O sol já tinha aparecido e a temperatura aumentava.
Vamos para a caixa de partida.
Lá encontramos o Lénio.


                                                  O salgueirista Lénio não falha uma

Pum.
Tiro de partida.
Desta vez levamos 03:32 minutos a chegarmos á meta de partida.
Lá vamos nós.
Tática para hoje: tentar fazer o que dizem os livros, ou seja, fazer a primeira parte mais lenta que a segunda.
Cabeça fria, deixá-los passar sem importar com isso.
E passavam.
Ritmo moderado e confortável.
Já estamos a chegar á Ponte D. Luis.
Pedrinho já ia bem lá na frente.


                                        Ao km 3 mesmo a chegar á Ponte D. Luis

Já estamos no lado de Gaia.
Bem, muito bem, sentia-me leve, levezinho.
Logo depois do cais de Gaia deparo com um atleta a ser assistido pelo INEM.
Joelho cheio de sangue.
Tinha batido nas guardas daquele passeio sobre o rio Douro.
Guardas tipicamente de arquiteto, ou seja, esteticamente bonitas mas perigosas para os utentes.
Lembrei-me logo que tinha sido aí a minha única queda (num treino).
Bati nas guardas e andei "empenado" uma semana.
Siga.
Ah, já nos tínhamos cruzado com os primeiros quenianos que passaram a 300 á hora!
Retorno aos Km 8 depois da Afurada.
Olho para o relógio.
47:07 minutos
Ok.
Vamos muito bem.
Correr pela sombrinha (agora as escarpas eram nossas amigas) e já estamos a entrar novamente na Ponte D. Luis (km 13).
Aí, Pedrinho tem a sorte de ter uma das melhores fotos se sempre.
Aqui vai,


                                                   Pedrinho numa foto para a posteridade

Nós, não tivemos tanta sorte porque estavamos um pouco tapados.
Aqui vai,


                                          Cenário extraordinário da Ponte D. Luis

Siga agora para a Ponte do Freixo novamente.
Ritmo sempre igual e confortável.
Cada vez acredito mais que iria ter força para acelerar na parte final.
15 kms no retorno e abastecimento.
Deito a mão á mesa do gel e "saco" 3 embalagens.
Está na hora de pensar em acelerar.
Tenho força?
Tenho.
"Enfio" duas embalagens de gel para o meu "depósito" e penso positivo.
Teresinha, como sempre, dava as passadas sem qualquer dificuldade.
Passamos o túnel da Ribeira com música ao vivo e digo para mim: "é agora".
Ok
Lembrei-me que no ano passado ao sair do túnel estava "morto".
Completamente "morto".
Desta vez, não.
Acelero e sinto-me fresquinho como um alface.
Começamos a "galgar" e era só passar por eles.
O gozo que isso dá!
Alguns até parecem que estão parados.
Psicologicamente não há nada melhor.
Sinto-me forte.
Sinto-me á Mike Tyson 💪💪💪
10, 20, 30, 40, 50, sei lá, eram tantos a serem passados que, cada vez que passava um, tinha logo o objetivo de passar o seguinte.
E passava-o.
Era uma motivação constante.
Ponte Arrábida.
Km 20
Só falta um.
Olho para o relógio?, pergunto a mim mesmo.
Não.
Não olhes, dá tudo, não te distrais, ainda vais bater o teu record que é de 02:02:25
Será possível?
Siga.
Ainda dou mais um bocadinho de mim.
Na reta da meta lá estava a minha sobrinha Ana e o Boaventura a nos incentivar,
Cortamos a meta com satisfação e a pensar que ainda fazia mais uns kilómetros.
Será isto bom augúrio para a maratona?
Pois, mas a maratona é só o dobro (42 kms)!
A ver vamos.
Olho para o relógio.
02:03:00
Espetáculo!
A minha cidade já merecia que a não deixasse ficar mal.
Fiquei a 35 segundos de bater o meu record da meia maratona!
Fotos da chegada,


                                      A cortar a meta com uma satisfação bem notória na cara


                                                                    Pedrinho na reta da meta

E pronto.
Medalha, saco de abastecimento e recuerdos e lá fomos ter com o nosso bote.
Desta vez tínhamos os famosos cubos de gelatina do Pedrinho para saborear.


                                         Estas gelatinas pareciam lagosta 😃

Para memória futura,

Terminaram 4756 atletas
Teresinha, tempo de 02:02:59, lugar 3592 na geral e, no seu escalão (F55), lugar 9 em 24
Mike, tempo de 02:03:00, lugar 3593 na geral e, no seu escalão (M60), lugar 122 em 172
Pedrinho, tempo de 01:50.24, lugar 2197 na geral e, no seu escalão (M40), lugar 477 em 848

Os nosso amigos das provas,
Silvério Pinto, tempo de 01:45:21, lugar 1903 na geral
Serafim Ramos, tempo de 01:56:00, lugar 2883 na geral
José Esperança, tempo de 02.39.21, lugar 4699 na geral
Pedro Esperança, tempo de 01:59.10, lugar 3003 na geral
Lénio Marinho, tempo de 02:07:43, lugar 3917 na geral

Vencedor masculino: Abraham Kiptum com 01:00:06
Vencedora feminina: Monica Jepkoech com 01:09:23 (novo record da prova)
Melhor português: José Moreira com 01:07:13 (14º da geral)
Melhor portuguesa: Salomé Rocha com 01:14:41 (46ª da geral)

Curiosidades:
Os nosso tempos de 5 em 5 kms:
- aos 5kms: 00:28:45
- aos 10 kms: 00:57:57
- aos 15 kms: 01:26:58
- aos 20 kms: 01:55.35
A prova teve 21,27 kms

- Km mais rápido: km 18 com 00:05:31
- Km 21 a 00:05:33
- Km mais lento: km 6 com 00:05:56

Este ano fizemos menos 21:45 minutos que o ano passado!!!

E pronto.
É tudo.
Agora, treinar forte.
Nova meia maratona nos espera no próximo mês.
Onde será?
Ui,.......... levanto o véu: é na "estranja", a 2319 kms do Porto e a 02:50:00 de viagem em avião 😋
Onde será?
Bjs e abraços para todos deste v/ servo
MIKE
2017.setembro.



segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Iniciou a nova época. Uff,.... até que enfim ! Já tinha saudades de provas.



É isso.
A nova época iniciou.
Uff,..... até que enfim!
Já tinha saudades de provas.
De correr provas.
Do convívio.
Da adrenalina.
Não temos parado, temos treinado (bem), até distâncias longas para estarmos preparados para as meia maratonas e, quem sabe, para a maratona (será desta?).
Bom, cronologicamente foi assim:
Partida do bote do local do costume ás 08:18 😛
Desta vez a guarnição era constituída por 5 (cinco) atletas em representação da equipa Marmedsa Running Team.
Pois é.
Como sabem somos super, super requisitados pela esmagadora maioria das grandes equipas internacionais e, desta vez coube á espanhola Marmedsa ter o júbilo, o prazer, a honra, de nos ter a vestir e a representar a sua camisola! 😃
Teresinha, Leninha, Pedrinho, Diogo e este v/ escriba Mike lá partiram.
Chegamos bem cedo a Matosinhos mesmo perto da praia e, claro, encontramos lugar para atracar o bote (ir cedo é a única maneira de termos lugar sempre junto á meta).
A temperatura estava fresquinha, a questão era: ir-se-ia manter?
Fizemos tempinho e lá fomos para o local da meta que era precisamente no terminal de cruzeiros de Matosinhos.


     Pois foi aqui mesmo neste belo terminal, a partida e chegada da corrida

Ora bem.
Tínhamos pela frente,
- 4ª Corrida do Porto de Leixões
- 10 K
- 2017.09.10
- 10 horas
O solzinho aparece e já começa a "esquentar"
Já estariam, para aí, uns 18 graus.
Bom, aquecimento normal e vamos lá para a caixa de partida.


                                         Os Marmedsa já na caixa de partida todos satisfeitos

A hora aproxima-se.
Ah, mais uma foto, agora tirada lá do alto,


                                                 A hora de partida estava por um fio

Pum.
Tiro de partida, desta vez sem aviso.
Lá vamos nós.
O itinerário era precisamente o mesmo do ano passado, daí não haver surpresas quanto ao ritmo a adotar.
Habituados a treinar longas distâncias (o que nos leva a diminuir o ritmo), até estava com curiosidade para ver qual era hoje o ritmo que o meu corpo "aceitava" para "só" 10K, sim que isto de 10K agora é "ir ali e já volto".
Começamos com ritmo confortável, subir ponte móvel, descer e já estamos na outra margem.



                                            Íamos ou não íamos descontraídos ?

Prova sempre na doca de Leixões, longa reta, passamos a ter o Lénio como companhia e já estamos nos 5 kms.
As fotos da passagem aos 5 kms:


                                                  Que iria a ouvir Diogo?



                                                  Pedrinho a dobrar os 5kms


                             
                                                      Silvério em grande estilo

A partir daqui senti mesmo que tinha força para acelerar.
Siga.
Ainda desafiei o Lénio a nos acompanhar mas ele, do "alto" do seu bom senso diz-me, "não, não vou, vão vocês, eu vou no meu passo"    
Sempre confortável com o ritmo imprimido e lá íamos nós rumo á meta.
Últimos metros, em paralelo o que não é nada agradável e,............ já tá.
Finito.
Já acabou?
Foi uma prova rápida.
Agora ando com a mania que tudo o que é menos de 15 kms é pura "brincadeira" 💪
Medalha, água, banana e barra energética, foi o que recebemos em troca do suor desta manhã.
Lá nos encontramos todos novamente e, cá vão as fotos,


                                           Agora já com as medalhas e com o João também



                                      No final da prova com o salgueirista Lénio Marinho

Bom, para a posteridade, as classificações,
Terminaram a prova 1597 atletas
O relógio marcou 10,09 kms de prova
Vamos á equipa Marmedsa,
- Teresinha, tempo de 00:54.26, lugar 863 na geral e no seu escalão (F55), lugar 6 em 21
- Leninha, tempo de 01:01:45, lugar 1254 na geral e no seu escalão (F55), lugar 11 em 21
- Mike, tempo de 00:54:27, lugar 864 na geral e, no seu escalão (M60), lugar 38 em 70
- Diogo, tempo de 00:45:01, lugar 255 na geral e no seu escalão(J/S), lugar 61 em 299
- Pedrinho, tempo de 00:49:22, lugar 519 na geral e, no seu escalão ((M40), lugar 98 em 232
- João, tempo de 00:54:49, lugar 978 da geral e no seu escalão (M40), lugar 172 em 232
Os nosso amigos,
- Sílvério Pinto, tempo de 00:46:22, lugar 337 na geral
- Lénio Marinho, tempo de 00:55:38, lugar 928 da geral
- Zé Esperança, tempo de 01.13:06, lugar 1540 da geral
- Helena Esperança, tempo de 01:15:09, lugar 1540 da geral
- Pedro Esperança, tempo de 00:51:36 e lugar 686 da geral

- Em masculinos venceu Carlos Costa com 00:31:33
- Em femininos venceu Emília Pisioneiro com 00:35:43

Agora, para terminar, umas curiosidades,
- Leninha, lesionada desde fevereiro, é a primeira prova que faz desde que retomou a treinar no início deste mês de setembro.
Apesar de ainda não estar "au point" (apenas tinha treinado o máximo de 7 kms seguidos), arriscou participar e fez uma prova muitíssimo boa.
Bem vinda á equipa.💪
Fazias falta.
E, estreou-se a correr na 1ª Corrida do Porto de Leixões em setembro de 2014 tendo feito a prova no
tempo de 01:09:20
- Zé Esperança também a tratar de lesão, participa e, como é habitual, a sua garra e determinação levam-no a terminar em beleza.
Querem ver?
Aqui vai:


             Zé Esperança com mais uma vitória na sua vida. Um exemplo para todos nós

- Teresinha e Mike, pela primeira vez em provas, fazem a segunda parte da corrida mais rápida que a primeira.
Vejamos:
- primeiros 5 kms em 00:27:05
- últimos 5 kms em 00:26:44
- Comparativo entre lugar aos 5 kms e lugar final:
Diogo: aos 5 kms, lugar 228. No final, lugar 251
Pedrinho: aos 5 kms, lugar 481. No final, lugar 514
Teresinha: aos 5 kms, lugar 861. No final, lugar 854
Mike: aos 5 kms, lugar 862. No final, lugar 855
João: aos 5 kms, lugar 912. No final, lugar 1306
Leninha: aos 5 kms, lugar 1166. No final, lugar 1238
Pedro Esperança: aos 5 kms, lugar 624. No final, lugar 686
Zé Esperança: aos 5 kms, lugar 1532. No final, lugar 1519
Helena Esperança: aos 5 kms, lugar 1533. No final, lugar 1534
Silvério Pinto: aos 5 kms, lugar 323. No final, lugar 333
Lénio Marinho: aos 5 kms, lugar 883.No final, lugar 918
Interessante, não é?
- Diogo também se estreou a correr na 1ª Corrida do porto de Leixões em dezembro de 2014 tendo feito o tempo de 00:51:44.
Hoje fez menos "só" 06:03 minutos 🏃🏃🏃
- Mais uma estreia na primeira prova desta corrida em 2014: Pedrinho
Mas, aqui temos uma ligeira "nuance"
O Pedrinho que se estreou em 2014 não é o mesmo; é um sósia.
Em 2014 Pedrinho faz os 10 kms em 01:13:00
Deixou de fumar e passou a correr, ..... a sério.
Não acreditam?
Então, vejam as diferenças:



                                        O antes (2014) e o depois (2017) de Pedrinho

O que a corrida e a vida saudável conseguem fazer!

O menos da prova: a organização não respeitou os mais atrasados.
Na reta da meta, para os mais atrasados, havia mistura de atletas e participantes da caminhada.
Há que respeitar todos e não só os mais rápidos porque todos são atletas independentemente do tempo que façam.
Terminar uma prova é uma enorme proeza, cada qual ao seu ritmo mas, estar lá é que é importante.

E pronto.
È tudo.
Próxima: já domingo com a Meia Maratona do Porto
Isto sim.
Já não é "brincadeira" nenhuma.
Até lá.
Bjs e abraços do MIKE
2017.setembro



terça-feira, 18 de julho de 2017

Corrida Portucale - desta vez a Maskote também correu




Para variar, o início desta crónica, começa numa sexta feira.
E, porquê?
Ah, porque foi um dia especial de treino.
É verdade.
A Maskote, inscrita para a prova de domingo, vai daí, vem treinar connosco na sexta para estar em forma.
Assim, sexta ao fim da tarde, fomos correr ás voltas ao Estádio do Maia.
Treininho agradável, soft, para a Maskote habituar as perninhas a andamento rapidinho.


                           Prontos para mais um treininho no Estádio do Maia

Agora, passemos ao sábado.
Neste sábado nosso grande amigo e atleta José Esperança comemorou mais um aniversário.
Fomos "encontra-lo" nos Algarves a se preparar mentalmente para mais uma maratona no fim deste ano.
Este grande atleta não pára!
Parabéns mais uma vez.
Passemos a domingo.
16.julho.2017
Ás 08H18 (disse bem, 08H18 em ponto conforme combinado), arrancamos do local do costume (na Maia), para suar mais uma vez.
Desta vez o "bote" tinha a seguinte "guarnição" de atletas:
Teresinha, Maskote Isabelinha, Mike, Pedrinho e a Miss Simpatia como apoio.
Leninha, ainda a recuperar de lesão, fica em casa.
Cura-te rápido e volta depressa
Sentimos a tua falta.
Pois é.
Desta vez tínhamos á nossa espera duas provas:
- 2ª Shamir Portucale dos Pequeninos para a Maskoke Isabelinha
- 3ª Corrida Portucale para os restantes (15 K)
Estacionamos no parque do costume (cedido pela organização) e, lá vamos nós a descer (aqui encontramos o Lénio), para o Cais de Gaia
A primeira prova a se realizar era a Maskote, 500 metros para atletas dos 6 aos 10 anos.
Apesar de estar um nevoeiro imenso junto á costa, no Cais de Gaia, o sol já aquecia.
                     


Ora aqui estão os Happyrun acompanhados da Miss Simpatia

Vamos lá aquecer que a prova da Maskote inicia ás 09H15
Jovenzinhos atletas todos empolgados e, lá vão eles para a caixa de partida.
Pum.
Até parece que se tinha soltado a cadeia!
Desatam a correr por ali fora numa extensão de 250 metros e retorno.



                                          A Maskote no retorno cheia de estilo

Foi muito giro e, é assim que se mete o vício em gente jovem.
Maskote chega orgulhosa de sua medalha conquistada.
Mais um aquecimentozinho e encontramos mais um nosso amigo atleta; Tiago Martins que esteve parado uns tempos a debelar uma mazela no ombro.


                                      Tiago Martins já recuperado, no meio dos Happyrun

Agora era a nossa vez.
Caixa de partida e, "topamos" logo que o tempo não ia ajudar.
Sol, 23 graus e muito abafado (na costa o nevoeiro era intenso)
Preparados para os 15K desta prova.
Aqui vai o que nos esperava "galgar"





Partida compacta (pois a rua é estreita) e muito cuidadinho (piso de paralelos) e, aí vamos nós.


                                                 A partida em frente á Gaiaurb

Num ápice, já estamos a atravessar a Ponte D. Luiz I.
Aqui temos duas magníficas imagens,


                            Teresinha e Mike aqui estão no meio desta "multidão" corredora


                                      Pedrinho e Silvério em bom andamento na ponte

Virar á direita rumo ao freixo.
Siga.
Aos 2,5 kms já tinhamos abastecimento de água o que era muito refrescante.
Retorno na ponte do freixo.
O calor já começa a se fazer sentir, diria antes, o tempo "abafado" dificultava a respiração.
Túnel da Ribeira, virar esquerda, descida (íngreme), cubo da ribeira, virar esquerda.
Os domingueiros nas esplanadas a beberem fininhos e a comerem tremoços e nós, ali a suar as estopinhas!


                                   Pedrinho em plena Ribeira, que hoje, estava por nossa conta



                    Tiago Martins na Ribeira em grande estilo agarrado ao telemóvel 😃

Ponte D. Luiz e já estamos outra vez do lado de Gaia.
Aí, deparamos com o nosso amigo Serafim Ramos, desta vez, "armado" em fotógrafo a nos registar para a posteridade.
Serafim, grande atleta e, com grande simpatia, desta vez " a jogar" por fora fazendo de verdadeiro "paparazzo" 🙌
A próxima foto é obra dele,


                                             Já em Gaia com 7.5 km já nas pernas

Cais de Gaia e, no fim deste, mesmo em cima da rotunda temos Miss Simpatia e a Maskote á nossa espera.
Maskote, a cada um de nós (Pedrinho incluído), nos dá uma garrafa de isotónico para podermos aguentar os km que faltavam.
Maskote, nem imaginas que bem me soube aquela bebidinha!  💋
Gracias.
Américo passa por nós e pergunta, "querem uma boleia?"
Lá querer, queria mas, as minhas perninhas não acompanharam o seu andamento e, ele lá foi.
Afurada e, toca a subir para a rotunda.
Uma maldade.
Tanto desgaste e ainda ter de subir aquilo.
Bom, retorno e, agora é deixar ir que já não falta muito.


                                   Lénio Marinho no retorno da Afurada

O calor apertava cada vez mais.
Na rotunda (antes do cais de Gaia), lá estavam todos eles novamente á nossa espera (Miss Simpatia, Maskote, Serafim e a Fernanda, mulher do Serafim).
Nem vi a Fernanda tal era o desgaste!
Só em casa, quando vi umas fotos, é que reparei que lá estava.
Tava cego 😝
Agora é só mais uns metros e estamos na meta.
Maskote acompanha-nos nos últimos metros.
Termino "morto" 🙈
Água, maçã, medalha, alongamentos e, agora esperava-nos mais uma subida para o parque de estacionamento.
Mais uma!
E pronto.
Época concluída.
Também temos de descansar um pouco para em setembro estarmos novamente "au point" 😁
Finalmentes,
Terminaram a prova 887 atletas
- Teresinha, tempo de 01:28:09, lugar 660 na geral e no seu escalão (F), lugar 76 em 179
- Mike, tempo de 01:28:10, lugar 661 na geral e no seu escalão (M), lugar 591 em 726
- Pedrinho, tempo de 01:21:13, lugar 495 da geral e no seu escalão (M), lugar 465 em 726
- Silvério, tempo de 01:12:25, lugar 262 da geral e no seu escalão (M), lugar 261 em 726
- Américo Martins, tempo de 01:24:44, lugar 618 da geral e no seu escalão (M), lugar 561 em 726
- Tiago Martins, tempo de 01.30:37, lugar 706 da geral e no seu escalão (M), lugar 624 em 726
- Lénio Marinho, tempo de 01:30:41, lugar 709 da geral e no seu escalão (M), lugar 626 em 726
Km totais: 15,11
Desnível: 465 metros
Vencedores,
- Masculino: Carlos Costa com 00:50:49
- Marisa Barros com 00:58:07
Curiosidade,
Todos nós fizemos pior tempo que na prova do ano passado.
Até Marisa Barros (que também venceu o ano passado), fez mais 04:18 minutos!
Causa: só pode ter sido o tempo quente e abafado a fazer mossa pois, no ano passado estava fresquinho (tinha chovido antes da prova).
Ok
Agora, treinar levemente durante uns dias para recuperar.
Boas férias a todos
Bjs e abraços
MIKE
2017.julho










segunda-feira, 3 de julho de 2017

S. Pedro não nos dá descanso, nem de noite, nem de dia :)



Há profissionais e, não profissionais.
Há quem se cuide (bem) e, quem, de vez em quando, não se cuide.
Pois é.
Desta vez cometemos uma "asneirita".
Sábado, 1 de julho fomos convidados para jantar em casa de um amigo nosso da Feup, Toni de seu nome.
Era a primeira vez que íamos a sua casa.
Morada no GPS e lá partimos.
Fomos parar á encosta de Gaia sobranceira sobre a Afurada.
E, nesse dia, "descobrimos" que eram as famosas festas do S. Pedro da Afurada.
Ui,............. mas que vista nós temos das varandas da casa!
Vista mesmo fantástica da foz do Douro.
Querem apreciar;


                   Não, não é um bilhete postal não. É mesmo a vista da casa do Toni sobre a Afurada

Moral da história: lauto banquete com direito a fogo de artifício á meia noite, mais comes e bebes e, quando demos por ela, já eram 3 da manhã!
Bom, vamos lá descansar um pouco que amanhã (domingo), há prova.
Bem podemos dizer que S. Pedro não nos dá descanso :)
Alvorada cedo (07H10) e, toca abalar para a Póvoa de Varzim.
O que nos esperava?
- 2.julho.2017
- 29ª Corrida de S. Pedro da Póvoa de Varzim
- 10k
- 10H00
Estacionamos no parque do costume (mesmo junto ao Estádio do Varzim), levantar os dorsais e, tentar acordar pois as horas de sono foram muito poucas.
Aquecimento junto ao mar já com um dia quentinho (as pessoas que já estavam na praia não nos desmentiam)


                                                  O mar azul da Póvoa como fundo

Encontramos o Lénio (vai a todas este atleta) e, já estamos na caixa de partida.
Desta vez a organização era da Bikeservice.
Partida.
Aí vamos nós pela marginal em direção a Vila do Conde
São dois kilómetros e tal de marginal pejada de gente a nos ver.
Aproveitamos a sombra pois aqui os prédios são altos e, a esta hora o sol ainda está baixo.
Retorno, mais marginal, sempre a abrir e já temos o primeiro abastecimento aos km 3
Sentia que "rolava" confortavelmente.
Ao Km 5 olho para o relógio e ele marca 00:26:15
Ok
Tudo dentro do normal.
Siga.
Ao km 7 temos mais abastecimento e logo a seguir um carro de bombeiros a nos regar :)
Sinto uma ligeira quebra mas depressa me recomponho.
Nos últimos 3 kms temos a companhia de jovenzinho que não nos largava.
Ele que corria com auscultadores, a 500 metros da meta me pergunta: "Ainda falta muito?"
- Não, tamos quase, é só mais 500 metros
- Ah, é que estou cheio de sede
- Oh pá, tinhas dito antes, eu ainda tinha água na garrafa mas deitei-a fora para ficar mais leve
Levei a mão ao bolso e tirei uma das minhas "bombas" de mel e dei-lhe.
Ele olhou, olhou, ou antes, pensou, pensou e acabou por agradecer e não querer
- Não vale a pena, já estamos quase na meta
E, estávamos mesmo.
Lá vamos nós, é só mais um esforço e,.............. pronto, já tá.
Na fila para o levantamento da medalha e água, encontramos o Lénio (novamente) e o Serafim.


                                      Os Happyrun e o jovenzinho que se colou a nós na parte final


                        Os nossos amigos Lénio e Serafim a terminarem a prova


                                               A foto final após mais um esforço de 10 K

E pronto.
Os finalmente aqui vão:

Terminaram a prova 853 atletas.
Teresinha, tempo de 00:53:13, lugar 647 na geral e, no seu escalão (F35), lugar 45 em 94
Mike, tempo de 00:53:13, lugar 648 da geral e, no seu escalão (M60), lugar 31 em 43
Serafim Ramos, tempo de 00:54:37, lugar 686 da geral e, no seu escalão (M55), lugar 31 em 38
Lénio Marinho, tempo de 00:54:25, lugar 685 da geral e no seu escalão (M60), lugar 34 em 43

Vencedor masculino: Nuno Lopes, tempo de 00:29:27
Vencedora feminina: Inês Monteiro, tempo de 00:32:51

Curiosidade:
É a terceira vez que corremos esta prova (sempre com o mesmo percurso).
Tempos comparativos:
- 2015: tempo de 00:51:51
- 2016: tempo de 00:53:20
- 2017: tempo de 00:53:13

Finito.
Finalle.
The end.
Bjs e abraços para todos

MIKE
2017.julho








terça-feira, 20 de junho de 2017

Bombeiros em ação no S. João :)



Domingo
18.junho.2017
Como já sabíamos, um dia de calor nos esperava.
É tradição.
18ª Corrida de S. João com o  sol a pino.
15 K
Atracamos o bote em frente ao novo restaurante KFC, logo ali abaixo do Hotel Ipanema na Pasteleira.
Toca a esfregar protetor solar no braços, perninhas, cara e pescoço pois o sol nos esperava.
Descemos para o Fluvial e, logo aí, encontramos o Lénio que treina connosco ás quartas feiras na Maia


                              Com o Lénio Marinho que envergava a camisola do Salgueiros

Continuamos  a descer para o rio e encontramos mais uns colegas de treino: a Maria Ricardo e o Mário Soares que, para acordarem (presumo) estavam na fila para tomarem um cafezinho.
Este ano o início e fim da prova mudaram para aqui.


                                                   Preparados para, .............. o sol :)

Toca a aquecer (estava com pouca vontade de o fazer) e, passado um minuto já estava a escorrer de suor.
Caixa de partida e,....... um minuto de silêncio pelas vítimas do lamentável incêndio em Pedrógão Grande.
10 horas
Partida.
26 graus



                                       Dada a partida para uns 15K  debaixo de sol intenso

Lá fomos nós em direção a Matosinhos em pelotão compacto.
O sol já apertava bem


                              Logo após a partida com o Rio Douro por companhia numa bela foto

Siga.
Já estamos no início do Passeio Alegre a, aí somos "atropelados" pelo Silvério que passa pelo nosso meio como um "foguete", tendo só tempo de dizer "boa prova" :)
Avenida Brasil e, passados uns metros, já estão de volta os primeiros que, como de costume, não correm, voam baixinho :)
Já estávamos com abastecimento de água (era bem precisa) e de bombeiros a nos regarem com mangueiras.
Retorno no fim da Avenida Brasil (muito próximo da rotunda no Castelo do Queijo) e já estamos com 4 kms de prova.
Apesar do calor, íamos em ritmo normal.
Novamente Jardim do Passeio Alegre, mais bombeiros na rega e estamos novamente no Jardim do Calém onde iniciamos.
8 kms de prova já eram.
Siga em frente.
Ponte Arrábida, Alfândega, uma subidinha e, retorno junto á Igreja de S. Francisco.
12,5 kms de prova.
Aí, não tive dúvidas: estava "morto"
Mesmo na pequena descida que tinha não consegui acelerar.
Mais bombeiros a regarem e não desperdicei a valente molha que sabia pela vida.
Uff,.............. ainda falta mas, ........ tem que ser.
Tipo "arrastão" pelo asfalto fora e, entramos finalmente na reta da meta.


                                                 As última passadas para terminar os 15K

E pronto.
Terminou.
Tirei a camisola e só pesava ............. 2 toneladas de suor :)
A organização esteve impecável com os postos de abastecimento de água e, principalmente com os postos (muitos) de bombeiros a nos regarem.
Antes dos finalmentes, queremos que a Leninha recupere depressa da lesão , o Diogo volte da Polónia, o Pedrinho troque os trails pelo asfalto, o Miguel ganhe coragem e nos acompanhe e a Susana volte (ainda tenho esperança).
Precisamos da vossa companhia. :)
Então, finalmentes:
Terminaram a prova 2440 atletas
Teresinha, tempo de 01:31:15, lugar 1859 da geral e no seu escalão (F45), lugar 49 em 112
Mike, tempo de 01:31:15, lugar 1860 da geral e no seu escalão (M60), lugar 103 em 153
Agora, os nossos amigos:
José Esperança, tempo de 01:55:40, lugar 2410 da geral e no seu escalão (M60), lugar 148 em 153
Silvério Pinto, tempo de 01.12:06, lugar 683 da geral e no seu escalão (M50), lugar 77 em 235
Serafim Ramos, tempo de 01:12:43, lugar 583 da geral e no seu escalão (M55), lugar 37 em 141
Américo Martins, tempo de 01:22:58, lugar 1282 da geral e no seu escalão (M40), lugar 242 em 385
Lénio Marinho, tempo de 01:33:04, lugar 1944 da geral e, no seu escalão (M60), lugar 112 em 153
Maria Ricardo, tempo de 01:31:54, lugar 1895 da geral e, no seu escalão (F45), lugar 52 em 112
Mário Soares, tempo de 01:20:44, lugar 1229 da geral e no seu escalão (M55), lugar 81 em 141
Vencedores:
Masculinos: Nuno Lopes, tempo de 00:46:05
Femininos: Catarina Ribeiro, tempo de 00:50:52

Agora já estou a ver a nossa amiga Maria José Peres (que tem olho de lince), a franzir o sobrolho e a dizer para com os seus botões:
“ Então como é possível o Serafim ter ficado em 583 na geral com um tempo superior ao Silvério e este ter ficado em 683 na geral?”
Acertei Mizé?
Bom, como dizia o brasileiro, “vamos esclarecer”:
Os lugares da classificação geral são determinados pelos tempos ilíquidos.
Os tempos que indico são os líquidos, ou seja, os reais.
Acontece que o Silvério partiu na última caixa e “perdeu” muito tempo até chegar á linha de partida (2 minutos e 3 segundos); como ele já me disse, a sua inscrição foi feita pelos Veteranos do Porto e inscreveram-no, por engano, na caixa “C” que era a última.

E, agora é mesmo tudo.
Bjs e abraços
MIKE
2017.junho